Mitos sobre fitness: nenhum dano no joelho causado pela corrida



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Jogging não prejudica as articulações do joelho e outros mitos da aptidão

A primavera está chegando e, para muitas pessoas, isso significa iniciar novamente as atividades de esportes ao ar livre. Quando se trata de esportes, ainda existem numerosos mitos sobre fitness em circulação. Com oito deles, algo deve ser limpo aqui.

Mitos sobre fitness mantêm-se firmes A primavera está ao virar da esquina e, portanto, o tempo começa novamente para inúmeras pessoas fazerem suas atividades esportivas ao ar livre. Mas muitos ainda cometem erros em seu plano de treinamento porque se apaixonam por mitos da aptidão que persistem, apesar dos resultados do estudo. Por exemplo, é a hora certa do dia para executar ou o aquecimento eficaz antes do exercício. No entanto, esses mitos não apenas persistem entre os atletas recreativos, como também são comuns entre os principais atletas, disse o médico esportivo Winfried Banzer ao Frankfurter Allgemeine Zeitung (FAZ).

Exercícios de aquecimento sem base científica Juntamente com sua equipe de medicina esportiva da Universidade de Frankfurt, ele tentou no ano passado encontrar evidências científicas para todos os tipos de conselhos que os atletas continuam dando uns aos outros. Muito do que aconteceu estava errado e o professor disse à FAZ: "Da geração de treinadores à geração de treinadores, são transmitidas regras ou exercícios de aquecimento que não têm base científica, mas que todos acreditam que são bons para o corpo e aumentam o efeito do treinamento". Em uma conversa com o jornal, Banzer comentou sobre vários mitos da aptidão.

Mito 1: Aqueles que treinam antes do café da manhã perdem quilos mais rápido Aqueles que começaram a correr antes do café da manhã, assumindo que perdem mais rápido, podem levar mais tempo no futuro e esperar até depois de comer. Enquanto se exercita com o estômago vazio, a quantidade de gordura nas calorias queimadas é maior do que em outros momentos, mas isso não significa que, portanto, é possível perder mais peso, diz Banzer. Quando você perde peso, depende do total de calorias consumidas e não apenas da porcentagem de gordura queimada no consumo total de energia. Quem se exercita sóbrio o faz com uma intensidade significativamente reduzida e, portanto, tem um menor consumo total de energia. Exercitar-se com o estômago vazio também implica o risco de hipoglicemia. Aqueles que querem perder peso são aconselhados a se exercitar regularmente e de maneira variada.

Mito 2: Você pode treinar coxas grossas e barriga de cerveja de maneira direcionada, especialmente nas revistas femininas, muitas vezes se lê que as diversas áreas problemáticas podem ser facilmente treinadas. Mas, de acordo com o médico esportivo, isso não funciona. Um aumento na taxa de perda de gordura pode ser demonstrado nos músculos ativos, mas não pode ser reabastecido de forma rápida e sustentável. É aconselhável exercitar muitos grandes grupos musculares regularmente para realmente ver a perda de gordura. Atividades como caminhar, andar de bicicleta ou nadar são ideais para isso. Exercícios especiais para o estômago, pernas e nádegas devem ser feitos além de consolidar tudo.

Mito 3: Beber regularmente é importante durante os esportes Tornou-se raro ver atletas na academia ou ao ar livre sem a sua própria garrafa. Muitos têm medo de perder muito líquido durante suas atividades e, portanto, planejam fazer intervalos regulares ao beber. No entanto, Banzer acredita que um determinado ritmo de bebida não melhora o desempenho e você deve manter sua sede individual. O corpo humano já mostra quando é necessário líquido. A recomendação atual da medicina esportiva também não deve aderir às regras gerais. Segundo o médico, aqueles que suam muito durante o esporte mostram que sua termorregulação é bem treinada. Sudorese rápida não diz nada sobre más condições físicas.

Mito 4: Fazer jogging regularmente é ruim para o joelho.Se você tiver uma dor no joelho, muitas vezes precisa ouvir o fato de que é uma corrida. Mas Banzer ressalta que a articulação do joelho humano é extremamente dinâmica e adaptável, e existem estudos científicos que mostram que a corrida fortalece a articulação do joelho. Um estudo teria até mostrado que pessoas que andam muito têm o menor risco de osteoartrite. Mas ninguém deve continuar teimosamente se a dor no joelho não desaparecer, mas entre em contato com um médico.

Mito 5: Antes do esporte, você definitivamente deve se exercitar extensivamente. Nenhum estúdio de fitness sem planos para exercícios de alongamento e nenhuma transmissão de futebol sem ver jogadores substitutos se alongando e se alongando enquanto se aquecem. Eles estão todos errados? O especialista em medicina esportiva Banzer e sua equipe buscaram fundamentos científicos e chegaram à conclusão de que não há evidências de que o alongamento antes do treinamento ofereça benefícios. O alongamento estático não evita lesões no local. Por outro lado, exercícios de alongamento como “relaxamento” são absolutamente sensatos após o esporte.

Mito 6: A dor muscular, causada pelo aumento do ácido láctico, pode ser eliminada através do exercício, sendo causada por pequenos microtraumas nas células musculares. No entanto, você não pode combatê-lo com o esporte. Apenas um leve movimento poderia ajudar. Além disso, existem indicações de estudos que massagens ou acupuntura ajudam a combater a dor. Aparentemente, no entanto, o método mais fácil é esperar até que as reclamações diminuam. Cientistas da Universidade de Michigan chegaram a um resultado um tanto incomum alguns anos atrás. Eles descobriram que o suco de cereja protege contra dores musculares excessivas após um intenso programa de exercícios.

Mito 7: Mais de 70 anos de idade já não podem fazer muito pelo seu condicionamento físico.Claro, esta tese está incorreta. Numerosos estudos mostraram que o treinamento de força e o treinamento de resistência em idosos levam a uma melhora significativa na força e no perfil de risco médico. Estudos demonstraram que o exercício regular fortalece o sistema cardiovascular, entre outras coisas. E vice-versa, foi demonstrado que a falta de exercício aumenta o risco de um ataque cardíaco ou derrame. Além disso, as pessoas mais velhas que treinam sua força muscular efetivamente podem cuidar de si mesmas por mais tempo e viver de forma independente por mais tempo.

Mito 8: O treinamento de força não é para crianças Obviamente, as crianças também podem fazer treinamento de força. Isso promove o controle do corpo e a estabilidade. No entanto, o especialista em medicina esportiva Banzer recomenda que crianças até 14 anos de idade só pratiquem musculação com peso próprio e não com pesos. Atividades como flexões ou flexões também estariam disponíveis. sb)

Imagem: Q.pictures / pixelio.de

Informação do autor e fonte


Vídeo: Como tratar lesões com quente e frio. Vida u0026 Saúde


Artigo Anterior

Países pedem voz nas aprovações de médicos

Próximo Artigo

Prática Naturopática Homeopatia Clássica Erlangen